LINK ME


segunda-feira, 5 de março de 2012

MAIS sobre o Vinagre de MAÇA




A extraordinária medicina popular do Vermont, estado americano situado no extremo nordeste dos Estados Unidos da América, vem se formando desde os tempos primitivos. Ela adapta às condições do ambiente de vida no Vermont antiqüíssimas leis fisiológicas e bioquímicas, visando a manutenção da saúde e do vigor físico. Mas essas leis não têm limites geográficos: suas aplicações serão eficazes em outros ambientes também. Assim, algum instinto profundo faz com que, os vermonteses procurem os alimentos necessários à formação do organismo, isto é, uma dieta rica em carboidratos e baixo teor de proteínas, e muitos vegetais ácidos. Eles observaram, por exemplo, que quando aumentavam a porcentagem de proteína na ração da marta (animal do qual se retira a pele para o comércio), elas apresentavam suas artérias e órgãos obstruídos, contraiam doenças e morriam prematuramente. Dessa forma, o bom senso dos vermonteses faz com que observem o comportamento dos animais de criação e silvestres, as variações de climas, e a boa higiene. Sabiam escolher uma dieta de frutas, frutinhas várias, óleo puro do milho, folhas comestíveis ácidas, alimentos integrais, raízes e principalmente o sublime alimento: o mel de abelha. Sempre mantinham o seu estoque de vinagre de maçã natural que eles mesmos fabricavam para os mais diversos usos. Assim, os naturais do Vermont - EUA, tem durante gerações, conservado a saúde, a jovialidade e a longevidade ativa e produtiva.

O Doutor DC JARVIS, famoso médico naturalista norte-americano, e suas descobertas maravilhosas sobre o vinagre de maçã natural e a medicina popular do Vermont-USA.

O doutor D.C. Jarvis, que se tornou querido pelo esforço de ir ao encontro das necessidades do povo, escrevendo livros de medicina popular, afirma em seu famoso livro, best seller, "Folk Medicine – A Vermont Doctor’s Guide to good Health" , que as enfermidades como: artrite, osteoporose, reumatismo, pressão alta, gota, bursite, arteriosclerose, enfartos, derrames, fadiga crônica, dores de cabeça crônica, diabetes, rinites, e outras doenças degenerativas, etc, têm a mesma origem: acúmulo de cálcio no sangue.

O doutor Jarvis pesquisou durante muitos anos o modo de vida e dieta dos vermonteses, onde o vinagre de maçã natural é parte integrante da sua tradição. Os costumes dos vermonteses têm sido transmitidos de pai para filho durante gerações. Nascido no Vermont, estado do nordeste americano, depois de formado em medicina clássica, retornou ao seu antigo habitat no convívio com os velhos camponeses vermonteses a fim de aprender, como ele mesmo afirma, a medicina dos seus antepassados, que alinha um conhecimento de leis naturais antiqüíssimas aos fatos reais da vida. O estilo de vida dos Vermonteses chamou a atenção de muitas outras pessoas interessadas em aprender na prática como lidar com as mais diversas doenças apelando para os recursos da própria natureza.

Em suas observações e experiências chegou a conclusões seguras e revolucionárias: começou verificando que as chaleiras onde se fervem água, formam com o tempo, dura camada no fundo – resultado da precipitação de sais, cloretos, etc., e que, essa crosta, sob o efeito de vinagre de maçã, se dissolve, deixando a chaleira como nova. Igualmente comprovou que, mergulhando cascas de ovos em líquido de vinagre de maçã, estas se dissolvem lentamente. Investigou ademais, na localidade de Vermont-EUA, que pessoas que usavam o vinagre de maçã, eram muito mais saudáveis que as demais, e pareciam imunes as enfermidades e apresentavam uma extraordinária resistência física. Observou, nessa mesma localidade do Vermont, pessoas com mais de noventa anos, algumas com mais de cem anos de idade, trabalhando nas roças horas a fio sem apresentar grandes esforços, demonstravam vigor, bom ânimo, uma bela postura e excelente formação óssea, e diziam não adoecer. Inteirou-se também, que esses camponeses costumavam dar às vacas o vinagre de maçã misturado na água, fato que o levou a efetuar estudos e investigações, chegando a conclusões surpreendentes: vacas envelhecidas prematuramente, tomando porções de vinagre de maçã, rejuvenesciam; outras de mais de dez anos, que já não davam mais leite, voltaram a produzi-lo depois de três meses de tratamento. Verificou também, que os pintinhos tratados com líquido de vinagre de maçã misturado à água, tornavam-se resistentes às doenças e tinham altura e peso quase uma vez e meia que o normal e apresentavam uma bela e resistente pelugem. Por outro lado, inteirou-se também que os cavalos e cães de caça dessa região, tratados com o vinagre de maçã, eram muitos mais fortes e resistentes que outros não tratados com o vinagre, não demonstrando cansaço nas corridas, tinham uma vida mais longa que o normal e apresentavam um brilhante e sedoso pêlo.

Observou igualmente, que animais levados ao corte, os quais estavam recebendo tratamento idêntico, demonstrou uma perfeita consistência óssea e a medula de uma bela cor vermelha, indício de abundância de glóbulos vermelhos. Desse modo, e por outras vias, o doutor Jarvis chegou à conclusão de que o mesmo sucede com o corpo humano quando se toma o vinagre de maçã natural com água e mel, já que ele possui a faculdade de dissolver o cálcio excedente acumulado no organismo, permitindo que, ao absorvê-lo, os ossos se tornem mais fortes, menos expostos às fraturas e, sobretudo, em condições de ajudar na formação de tecidos mais elásticos, flexíveis, em favor do rejuvenescimento.

Assim, o mencionado médico fundamentou sua teoria no seguinte: nosso sangue pode ser de formação ligeiramente ácida ou alcalina. Isso depende em grande parte, da alimentação que habitualmente ingerimos. Aponta ele outros motivos: diz, por exemplo, que o clima frio, favorece o aumento de alcalinidade do sangue; que as preocupações, o medo, a ira, bem como toda a atitude e comportamento emocional negativo têm o mesmo efeito. Desse modo, contribuímos para o aumento da alcalinidade sanguínea, desregulando o pH do sangue. Além de essa alcalinidade excessiva provocar depósitos de cristais endurecedores. Dependendo da região do corpo onde estes cristais se alojarem provocarão no decorrer do tempo doenças ou disfunções correspondentes, se depositam nas juntas ou articulações, provocam a artrite, bursite, entupimento das artérias, veias, etc.

O consumo abundante de farinha de trigo refinada, açúcar refinado, carnes, enlatados, cremes, refrigerantes, doces, etc, são prejudiciais à saúde porque contribui para o aumento da alcanilidade; torna o sangue mais espesso e dificulta a circulação pelo sistema, aumentando a pressão arterial das veias e vasos, os quais com o tempo vão se obstruindo e endurecendo, porque a alcanilidade favorece os depósitos de cálcio e de outras substâncias terrosas danosas ao sistema.

Afirma o doutor Jarvis que a grande maioria das doenças tem como veículo o próprio sangue impuro, que distribui e deposita constantemente substâncias mortais pelo sistema ao longo dos anos. A purificação do sangue é de fundamental importância para reverter esse processo de endurecimento e envelhecimento precoce das várias estruturas moles do corpo, a pele, o secamento ou calcificação das articulações. Da mesma forma, se não trocarmos o óleo que lubrifica as várias partes do motor de um carro com o tempo a sujeira desse óleo acaba por danificar o motor, assim sucede com nossa saúde porque é bem mais sábio prevenir do que remediar.

Modo de usar o vinagre de maçã natural:

Em um copo, coloque uma colher das de sopa de vinagre de maçã, adicione uma colher das de sopa de mel de abelha, complete com água destilada ou filtrada. Bata bem, até misturar. Tome antes das principais refeições. O vinagre de maçã também pode ser tomado apenas com água.

E qual é a dose necessária? VEJAMOS: diariamente às refeições, ou entre elas, bater bem uma colher das de sopa de vinagre de maçã, com uma colher das de chá de mel de abelha, ou apenas água tomando em seguida. Afirma o doutor D.C. Jarvis que, após três meses desse tratamento, o sangue volta a adquirir a natural acidez dissolvendo o cálcio excedente aderido nas articulações e desobstruindo as artérias e vasos sanguíneos. Paralelamente, a pessoa experimenta uma sensação de bem estar; a digestão é favorecida, produz um sono reparador e o aumento da vitalidade física, combatendo a fadiga crônica. Desaparecem os gases intestinais, o amargor da boca e restabelece-se a energia vital em todo o organismo. Pessoas que sofrem de hemorróidas podem sentir depois de algumas semanas, tomando o vinagre de maçã, o mal regredir até desaparecer. A vista melhora consideravelmente devido ao processo purificador do sangue. Os sintomas de tonturas também desaparecem com a dieta ácida do vinagre de maçã. Ademais, verifica-se um vigoroso crescimento e fortalecimento dos cabelos, como conseqüência também, observa-se um emagrecimento natural, a pele volta a adquirir sua jovialidade e beleza. Os dentes se fortalecem e desaparece o mau hálito. Por outro lado, as pessoas sujeitas a freqüentes dores de cabeça (cefaléias), vêem cessar esses incômodos, tomando duas vezes ao dia, três colheres das de sopa de vinagre de maçã com água e mel, pois isso assegura resultados magníficos, afirma o doutor D.C. Jarvis.

Segundo pesquisas feitas há no vinagre de maçã natural mais de trinta elementos nutritivos fundamentais, mais de uma dúzia de sais minerais e enzimas essenciais e complexos vitamínicos. Igualmente, encontra-se ferro, vitaminas B12, ácido fólico (bom no combate a anemia) e elementos antioxidante, combatem os radicais livres que produzem a decrepitude do corpo. Possui qualidades anti-sépticas (mata os micróbios infecciosos) e antibióticas (contêm bactérias inimigas dos microorganismos deletérios). O vinagre de maçã natural extrai todos os minerais da maçã.

O vinagre de maçã natural é rico em sais de primeira importância para os processos bioquímicos do corpo; entre os quais o ácido málico, que entre outras funções, faz parte do chamado "ciclo de Krebs", que sintetiza um conjunto de reações bioquímicas responsáveis pela produção de energia no interior das células. Ele ajuda também na absorção dos nutrientes e, ao mesmo tempo, combate bactérias do aparelho digestivo; evita a obstipação, apontada como a principal causa de muitas doenças, pois o vinagre de maçã natural ajuda na eliminação de substâncias tóxicas, produto da má alimentação e poluição ambiental, que se alojam no intestino e fígado. Temos também a pectina que auxilia nos processos digestivos, reduzindo extraordinariamente o colesterol e outras gorduras densas.

O vinagre de maçã natural é altamente diurético, ajuda na eliminação do excesso de líquidos. Possui qualidade antioxidante, antiinflamatória e antibiótica excelentes. O vinagre de maçã natural controla o equilíbrio do pH do sangue e da pele.

O vinagre de maçã natural tem propriedade muito parecida com a química do suco gástrico secretado pelo estômago, e por isso, capaz de matar bactérias nocivas à saúde, facilitando a digestão. Médicos naturalistas recomendam que se faça uso de duas colheres das de sopa de vinagre de maçã natural misturado à água antes ou após as refeições regularmente, para evitar intoxicações alimentares, ou deter um processo de intoxicação em andamento.

Umas das razões da vitalidade do vinagre de maçã, é que ele associa minerais ao potássio: fósforo, cloro, sódio, magnésio, cálcio, enxofre, ferro, flúor, silício e traços de diversos outros. Alguns cientistas como o médico Pires Van Koek atribuem ao vinagre de maçã natural qualidades medicinais miraculosas para a saúde e o recomenda para pessoas que desejam voltar ao seu antigo peso de uma forma natural, e também para a regularização de todas as funções orgânicas deficientes, principalmente devido a uma dieta antinatural. Então, não é novidade que o vinagre de maçã natural tenha conquistado a fama de ser um excelente nutriente, fortificante, depurador do sangue, rejuvenescedor do organismo e excelente emagrecedor. Atualmente há pesquisas sobre a ação do vinagre de maçã natural em doenças mais graves ainda, com resultados surpreendentes e positivos. O vinagre de maçã é benéfico em todas as idades, como elemento preventivo de acúmulo excessivo de cálcio e substâncias terrosas obstrutoras do sistema.
 
BIBLIOGRAFIA e PESQUISA: "Princípios Ocultos de Saúde e cura", do original norte-americano: "Occult Principles of Health and Healing" by Max Heindel. Editora Pensamento.
"Agarre suas saúde e não largue mais", do titulo original norte-americano: FOLK MEDICINE - A Vermont Doctor’s Guide to Good Health – by Dr. DC JARVIS. Vigésima primeira Edição. 1960. Editora Bestseller – Importadora de livros S.A. São Paulo. BR.
"Vinagre de maçã – Uma receita de vida", do titulo original: "Le Miracle du Vinagre", do terapeuta holístico G.P. Boutard. Editora Claridade São Paulo. BR.
"Apple Cider Vinegar – Miracle Health System", of Bragg Health Crusades – America’s Pioneers, by Patricia Bragg N.D., PhD. Health & Fitness Expert. "w.w.w.bragg. com".
"
www.senhorviccino.com.br", fabricante e pesquisador sobre os usos do vinagre e sua ação sobre o corpo humano, desde 1981

O Poder da BANANA




Depois de lerem esta informação, vocês nunca mais vão olhar para uma banana da mesma
maneira.

Contendo três açúcares naturais; sacarose, frutose e glucose, combinados com fibras a banana dá uma reserva instantânea de energia. Pesquisas provam que somente 2 bananas dar-vos-ão energia para 90 minutos de trabalho pesado.
Não admira a banana ser o fruto mais consumido entre os atletas.

Mas energia não é o único benefício que a banana nos traz, ela ajuda-nos a prevenir um substancial número de doenças.

Depressão:
De acordo com recentes estudos, a maioria das pessoas que habitualmente sofrem com depressões sentiram-se substancialmente melhor depois de comerem uma banana. Isto acontece porque a banana contém um tipo de proteína que o corpo converte em serotonina, substância que se sabe que ajuda a relaxar e faz sentir melhor.


Anemia :
Fortes em ferro, as bananas estimulam a produção de hemoglobinas e ajudam em caso de anemia.

Pressão Arterial :
Este fruto tropical é muito rico em potássio e pobre em sal sendo perfeito para descer a pressão arterial. A Food and Drug Administration, nos Estados Unidos até permitiu aos produtores de bananas usarem isso como publicidade.


Cérebro :
200 estudantes comeram uma banana ao pequeno almoço, ao almoço e ao lanche e provou-se que o potássio presente no fruto ajudou-os a melhorar a sua concentração.

Obstipação :
Ricas em fibras, a inclusão de bananas nas dietas ajuda a normalizar o trânsito intestinal, permitindo debelar os problemas sem o uso de laxantes


Dor de cabeça :
Uma das maneiras mais rápidas de curar uma dor de cabeça é fazer um batido de banana com mel. A banana acalma o estômago e com a ajuda do mel aumenta os níveis de açúcar no sangue enquanto o leite acalma e hidrata todo o teu sistema.


Cansaço matinal :
Comer uma banana entre as refeições ajuda a manter os níveis de açúcar no sangue elevados, combatendo o cansaço.

Picadas de insectos :
Quando fores picado por um insecto, experimenta esfregar a zona afectada com a parte de dentro de uma casca de banana. Verás como a irritação vai acalmar.


Nervos :
Bananas são ricas em vitamina B, que acalmam o sistema nervoso. Pesquisas em 5.000 pacientes, chegaram à conclusão que os mais obesos são aqueles que têm trabalhos de muita pressão. O relatório concluiu que para combater isto, devemos controlar os nossos níveis de açúcar no sangue devendo consumir comida com muitos hidratos de carbono, como a banana.


Úlceras :
A banana é usada nas dietas contra as desordens intestinais pela sua textura suave e por causa de ser um fruto muito macio. É o único fruto que pode ser comido sem causar distúrbios mesmo nos casos mais graves. Ela também neutraliza a acidez excessiva e reduz a irritabilidade criando uma camada nas paredes do estômago.


Controlo de temperatura:
Muitas culturas vêm a banana como um fruto 'calmante' porque consegue baixar a temperatura, quer física quer emocional, nas mulheres grávidas.
Na Tailândia, por exemplo, é hábito as mulheres grávidas comerem bananas para se assegurarem de que o seu filho nasce com a temperatura correcta.


Fumar :
As bananas podem ajudar quem quer deixar de fumar. As vitaminas B6 e B12, o potássio e o magnésio que contêm, ajudam o corpo a recuperar dos efeitos da falta de nicotina.

Stress :
O potássio é um mineral vital que ajuda a normalizar o batimento cardíaco, que auxilia a ida do oxigénio para o cérebro e que regula a repartição de água pelo corpo. Quando estamos 'stressados' o nosso metabolismo altera-se reduzindo os níveis de potássio. Podemos ajustá-los com a ajuda deste fruto,
rico em potássio.


Cortes:
De acordo com o 'New England Journal of Medicine', comer bananas regularmente pode reduzir o risco de morte por cortes até mais de 40%!

Assim, a banana é um remédio natural para muitos males.


Acrescentado só uma coisinha, a banana ajuda a ajustar o organismo no chamado 'jet leg'. Para quem viaja de um continente para outro com muitas horas de diferença do fuso horário, comendo bananas, devido as propriedades do potássio, o organismo consegue ajustar mais depressa ao novo horário.


Comparando-a com a maçã, tem o quádruplo das proteínas, o dobro dos hidratos de carbono, três vezes mais fósforo, cinco vezes mais vitamina A e ferro e o dobro das outras vitaminas e minerais.
É um fruto rico em potássio e uma das mais saudáveis comidas existentes.


Bom Apetite

sábado, 3 de março de 2012

Obesidade - A vida secreta da célula de gordura


Os cientistas pensavam que a gordura corporal e as células que a constituíam eram inertes, como se fossem um compartimento de armazenamento.


Com o passar das décadas as pesquisas têm demonstrado que as células gordurosas agem como fábricas químicas e que a gordura corporal é uma potente substância: um tecido altamente ativo que secreta hormônios e outras substâncias com efeitos profundos e às vezes perigosos ao metabolismo.

Recentemente, os biologistas começaram a chamar a gordura de um “órgão endócrino”, comparando-a com glândulas como a tireóide e hipófise,também liberando seus hormônios diretamente na circulação sanguínea.

Porém existe uma importante diferença. Estas glândulas não podem proliferar e crescer como as células de gordura, que possuem aparentemente uma infinita capacidade de proliferação. Gordura corporal em excesso pode agir como um veneno, liberando substâncias que contribuem para a diabetes, doença cardíaca, hipertensão, derrame e outras doenças, incluindo alguns tipos de câncer.

Os pesquisadores tentam decifrar a biologia da célula gordurosa na esperança de encontrar caminhos que auxiliem as pessoas eliminar o excesso de gordura ou, no mínimo, prevenir que a obesidade destrua sua saúde. Em um mundo progressivamente obeso, estes esforços são de altíssima importância.

No Estados Unidos, 65 % dos adultos são obesos, comparados com 56% de 10 anos atrás, e pesquisas do governo culpam a obesidade por pelo menos 300.000 mortes a cada ano. Em adição, 50% das crianças acima de 6 anos estão acima do peso, 3 vezes mais as porcentagens de 1980.

Leptina

O reconhecimento de que as células de gordura estão longe de serem inertes apareceu em 1995 com a descoberta da leptina, hormônio que sinaliza ao cérebro quanto de gordura o corpo possui, desta forma o cérebro pode ajustar a ingesta alimentar e o metabolismo permitindo que o armazenamento de gordura seja mantido em certos níveis. Quanto maior a quantidade de gordura que a pessoa possui, maior será o nível de leptina.

Embora inicialmente os pesquisadores pensassem que a leptina poderia ser utilizada para o tratamento da obesidade, eles rapidamente descobriram que a maioria dos obesos é resistente aos efeitos da leptina.

“A descoberta da leptina estabeleceu o eixo de comunicação gordura-cérebro”, diz o pesquisador Dr. Sherer (professor de biologia celular e medicina do Colégio de Medicina Albert Einstein em Nova York.). ”Este foi o primeiro exemplo de um hormônio sendo liberado pelos adipócitos”.
Adipócitos produzem hormônios

O tecido adiposo é crivado de células do sistema imune chamadas de macrófagos, as quais liberam substancias que causam inflamação, e hoje se pensa que estas substâncias possuem um papel importante nas doenças cardíacas.As células gordurosas produzem hormônios adicionais que afetam a sensibilidade do corpo a insulina e estão altamente ligadas ao desenvolvimento da diabetes tipo 2.


Resistência a Insulina

A insulina auxilia a glicose a 'entrar' nas células, mas cerca de metade das pessoas obesas se tornam resistente a insulina, o que significa que suas células não respondem a insulina. Quanto mais peso elas ganham, mais resistente à insulina elas se tornam.

A resistência a insulina é a primeira etapa no desenvolvimento da diabetes e freqüentemente é acompanhada por pressão sanguínea elevada e altos níveis de gordura e açúcar no sangue.

Uma das moléculas mais importantes fabricadas pelas células adiposas é um hormônio chamado de adiponectina, que faz com que o corpo se torne mais sensível a insulina. Quando a pessoa se torna obesa, suas células gordurosas fabricam menos adiponectina, o porque disto ainda não está claro. Baixos níveis de adiponectina estão associados com diabetes e doença cardíaca. Dr.Scherer diz que os cientistas estão estudando este hormônio para descobrir se a sua administração a pessoas poderá ajudar a prevenir ou tratar a diabetes.

Outra molécula fabricada pelas células gordurosas é a resistina, que faz com que o organismo seja mais resistente a insulina, mas têm sido estudada basicamente em camundongos, e sua importância em humanos não é ainda bem conhecida, diz o Dr.Scherer.

Um adulto magro possui cerca de 40 bilhões de células gordurosas, uma pessoa obesa possui cerca de duas a três vezes este número, e obesos possuem células gordurosas maiores do que as pessoas magras.

O corpo é capaz de fabricar mais destas células e comparando-as com outras células, estas possuem uma vida extremamente longa.


Células de gordura se reproduzem

Como se acreditava no passado, não é verdade que a quota de células adiposas de uma pessoa é fixada para sempre em algum momento da adolescência. Se a pessoa continua comendo em excesso, as células gordurosas existentes aumentam de volume até certo limite tamanho. Quando atingem esse limite, não se dividem, ao invés disto, enviam sinais para que as células imaturas mais próximas comecem a se dividir produzindo assim mais células gordurosas.

Mesmo um abdômen com gordura moderada - um abdômen protuberante em uma pessoa diferentemente magricela – podem aumentar o risco de hipertensão, diabetes e doença cardíaca. Pessoas magras ou fora do peso que estão na verdade sob o risco da gordura abdominal podem ser falsamente tranqüilizadas por terem leitura normal de um medidor de obesidade muito comum, o índice de massa corporal, ou I.M.C. O problema é que este índice, baseia-se na altura e no peso, e não leva em conta a forma do corpo.

“Nós gostaríamos de eliminar a idéia de que o I.M.C. é o melhor indicador de risco,” disse o Dr. Osama Hamdy, diretor da clinica de obesidade no Joslin Diabetes Clinic, em Boston. Ele diz que a medida da cintura é melhor prognóstico, com uma zona de perigo em torno de algo maior do que 102 cm para os homens e 88.9 cm para as mulheres. do Colégio de Medicina Albert Einstein em Nova York.). ”Este foi o primeiro exemplo de um hormônio sendo liberado pelos adipócitos”.
 
Fonte: Adaptado do The New York Times
*As informações aqui disponíveis não substituem o aconselhamento profissional.

Vinagre de maçã...


VINAGRE DE MAÇÃ
PODERES E VIRTUDES
O conhecimento dos poderes curativos provenientes do uso do vinagre vem desde os tempos mais remotos até o reconhecimento científico dos nossos dias.
O vinagre tem a virtude de lutar contra a maioria das doenças e um poder incalculável de combater o envelhecimento. Ajuda no tratamento de mais de 300 doenças. Contêm mais de 30 elementos nutritivos importantes, como minerais, vitaminas, ácidos essenciais e vários tais como a pectina, que é boa para o coração. Igualmente encontra-se no vinagre ferro, vitamina B 12 e o ácido fólico, que são bons no combate à anemia.

Hipócrates, o pai da Medicina, costumava tratar seus pacientes com esta bebida.

Além de tempero para salada, o vinagre de maçã apresenta benefícios para a saúde e para a estética, pois sua ação digestiva contribui para a eliminação de gordura do corpo, de forma a ser considerado redutor de peso e de celulite.

VINAGRE PARA EMAGRECER

Vinagre de maçã ajuda a baixar o ponto IG, a regular a absorção dos açúcares, diminuindo a sensação de fome e o armazenamento de gorduras.

“É preciso comer para viver e não viver para comer” escreveu Cícero, o grande orador romano, há mais de 2000 anos.

Dica:
Beba, antes das principais refeições, um copo de água morna com uma colher (café) de vinagre de maçã. Aos poucos seu apetite passará a ser moderado, diminuindo a gordura excessiva.

VINAGRE NA ESTÉTICA

O vinagre de maçã é muito usado no cuidado com a pele, principalmente em certas afecções, devido ao fato de seu pH ser o mesmo de uma pele saudável.

PARA CRAVOS E ESPINHAS

Prepare uma pasta com 3 morangos e ¼ de copo de vinagre de maçã.
Misture e deixe descansar por duas horas. Aplique sobre o rosto e durma com ela.
Pela manhã, lave com água morna.
Faça 3 aplicações por semana. Em breve você se livrará das espinhas e cravos. Este tratamento também conserva a pele macia e saudável, retardando o envelhecimento.

VINAGRE CONTRA DIVERSOS MALES

ATENÇÃO
As dicas e receitas não são prescrições médicas, e sim, meramente informativas da utilização popular do vinagre de maçã.


ANEMIA
Para combatê-la o vinagre dispõe de uma extensa lista de elementos nutritivos.

ARTRITE
Para amenizar as dores misture 1 colher (café) de mel e 1 colher (café) de vinagre de maçã em 1 copo com água. Beba a mistura pela manhã e à noite.

ASMA
Coloque gazes umedecidas com vinagre de maçã no lado interno dos pulsos, prendendo-as com um elástico.
CÃIMBRAS
Tomar durante as refeições, 1 copo de água misturado com 1 colher (sobremesa) de vinagre de maçã, diariamente.

COLESTEROL
O vinagre de maçã contém uma fibra, a pectina, que percorre o organismo levando consigo o colesterol.

DOR DE GARGANTA
Faça uma mistura de vinagre de maçã e mel meio a meio e beba 1 colher (sopa) a cada 2 horas. Faça gargarejos com uma mistura de 1 copo de água morna e 1 colher (sopa) de vinagre de maçã.

DOR DE ESTÔMAGO
Beba, aos poucos, 1 colher de água morna contendo 1 colher (sopa) de mel e 1 colher (sopa) de vinagre de maçã. Este procedimento além de amenizar as dores de estômago alivia o mal estar causado por gases.

FLATULÊNCIA (GASES)
Sempre que for cozinhar feijão e outras leguminosas coloque na panela do cozimento um pouco de vinagre de maçã. É o bastante para evitar os gases.

HIPERTENSÃO ARTERIAL (PRESSÃO ALTA)
Para tratá-la é indicado o uso do potássio. O vinagre de maçã, assim como a banana, é rico em potássio, devendo, portanto, ser utilizado no combate à doença. Deve-se tomar de 1 a 3 colheres de chá de vinagre de maçã em um copo com água. Beba como remédio no meio das refeições até obter resultado.

MAL DE ALZHEIMER
Um tratamento à base de vitamina B 12 e vinagre de maçã revelou-se benéfico em pesquisas, restabelecendo a grande maioria dos pacientes.

GRIPES E VIROSES
Deve-se tomar de 1 a 3 colheres (chá) de vinagre de maçã em 1 copo com água. Beba como remédio entre as refeições até obter resultado.

MÚSCULOS CANSADOS
Envolva o local com uma bandagem embebida em vinagre de maçã. Mantenha a compressa por 3 a 5 minutos no local ou durante o tempo que achar necessário.

PROBLEMAS URINÁRIOS
Para prevenir os riscos de infecções nos rins ou bexiga tome, diariamente, uma pequena dose de vinagre de maçã. Ele mantém a acidez necessária nas vias urinárias, diminuindo assim os riscos de infecções.

REUMATISMO
O reumatismo, assim como as cãibras e a artrite, é caracterizado também pela falta de potássio. O vinagre de maçã, por conter potássio, pode aliviar as dores do reumatismo, caso seja ingerido diariamente.

TOSSE NOTURNA
Umedeça a fronha do travesseiro em que irá dormir com vinagre de maçã.

ÚLCERAS
Estudos publicados em um jornal de farmacologia japonesa indicam que o vinagre de maçã pode prevenir a úlcera gástrica causada pelo consumo excessivo de álcool, isto porque o vinagre força o estômago a secretar mais suco gástrico. Esta defesa natural parece proteger o estômago contra os efeitos nocivos do álcool. Deve-se tomar de 1 a 3 colheres (chá) de vinagre de maçã em 1 copo com água. Beba como remédio entre as refeições até obter resultado.

LABIRINTITE
Tomar ½ copo de água morna e 1 colher (café) de vinagre de maçã, em jejum.

VINAGRE NO PREPARO DE ALIMENTOS

· O bolo de chocolate ficará úmido se acrescentarmos 1 colher (chá) de vinagre de maçã ao bicarbonato estipulado na receita (o fermento).

· Para o arroz ficar bem soltinho coloque 1 colher de vinagre na água do arroz na hora do cozimento.

· As massas fritas não ficam gordurosas se for acrescentada a elas (durante o preparo) 1 colher (sopa) de vinagre de maçã.

· Poderoso antibactericida para deixar de molho os verdes, colocar 5 colheres de sopa em 2 copos de água mergulhar as folhas por 15 minutos.
TÔNICO DA VIDA LONGA:

PRESERVANDO A SAÚDE E MANTENDO A DISPOSIÇÃO

A sabedoria popular mostra que é nas coisas simples que encontramos verdadeiras riquezas. Para começar, não há nada mais simples que esta receita de vida. Trata-se de um tônico que vai ajudá-lo a permanecer disposto até a velhice.

· 1 copo de água destilada

· 1 colher (sopa) de vinagre de maçã

· 1 colher (sopa) de mel

Misture bem. Tome este tônico ½ hora antes de cada refeição.

ATENÇÃO
Exclua o mel em caso de diabetes.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

O conflito conjugal pode começar no WC



No início do relacionamento conjugal, quando a paixão ainda transpira pelos poros, podem ser engraçadinhas algumas diferenças de hábitos no dia a dia do WC. No casal, um em geral é mais organizado que o outro e na idade adulta, ambos têm manias e costumes diferentes, já bastante arraigados. Depois de alguns meses ou anos juntos, essas diferenças começam a ficar mais evidentes, crescem e incomodam. Então, melhor evitá-las desde o início da coabitação, para amenizar problemas futuros.
O homem em geral se queixa: cabelos femininos soltos pelo chão, no piso do box, variedades de shampoos, esponjas, cremes, sabonetes (em barra, líquido), no box ou na pia, produtos de cabelo, de pele, de rosto ou de corpo, escovas e pentes, e uma infinidade de algum outro produto de toucador, adquirido algum dia, às vezes em alguma viagem, alguns produtos naturais, e que talvez nunca sejam usados. Os banhos parecem durar uma eternidade, com o banheiro envolto numa densa névoa, não existindo espelho desembaçante que resista, por mais moderno. Mas o mais desagradável é quando solicitado para desentupir a pia, só encontra cabelo, cabelo, cabelo, ralo abaixo.
A mulher se depara com a eterna questão da tampa levantada e sentou-se na louça fria, ou abaixada e respingada de urina, ou a urina que respingou no chão. Não existe nada que deixe a mulher mais irada! E quando ele resolve sentar no trono enquanto você está no banho?
Afora que é muito constrangedor que o outro entre no WC logo após as necessidades e ainda tenha odor desagradável no ambiente. E a questão dos sons, da falta de privacidade, que em geral parece incomodar mais às mulheres, que acabam tendo uma maior tendência ao intestino preso! E quando atrasados para um evento, ambos precisam usar o WC ao mesmo tempo.
O jeito de ele usar a pasta de dente depois de um tempo começa a incomodar, porque espreme o tubo no meio ou então não o fecha totalmente. E quando não lava adequadamente a pia após barbear-se e ficam os “toquinhos” de barba espalhados pelo caminho?
Sou, portanto partidária da teoria da separação de WC, sempre que a casa ou apartamento permitir e, nessa circunstância, o maior sempre será para a mulher, of course... Quando o casal for de mulheres, é preciso encontrar outro critério: quem sabe se pelas manias e excessos de uma ou outra no uso de cremes e shampoos?
Entretanto, enfatizo, quando o espaço não permitir essa separação de WC, ambos devem ser mais cuidadosos, aprendendo novos hábitos na coabitação, imprimindo mais respeito para preservar o relacionamento. Afinal, não é todo dia e em qualquer esquina que encontramos alguém que amamos e admiramos, não é verdade?


Dra. Luciana Nobile

Masturbação feminina





Tema delicado devido aos preconceitos e tabus sexuais incutidos em nossa formação sexual.

Tantas vezes tenho me perguntado porque complicam o que deveria ser lúdico e prazeroso, que é o exercício pleno e saudável da sexualidade. Na masturbação, que é o sexo solitário, menos razões teríamos para recriminações, já que não envolve terceiros e não existe risco de gravidez ou transmissão de doenças. Para isso, só recorrendo à história da repressão sexual, que mais afetou a população do sexo feminino, assim como outras decorrências do patriarcado e do machismo seculares.

Dodson escreve sobre a postura de doutrinas religiosas fundamentalistas e de políticos conservadores radicais de direita, nos Estados Unidos, juntando forças para controlar a vida pública e privada de cidadãos americanos: "A melhor forma de manter a população dócil e fácil de ser manipulada é proibir a masturbação, insistir no casamento e na monogamia, esconder informações sexuais e de controle da natalidade, criminalizar o aborto e a prostituição, condenar a homossexualidade, censurar a diversão com sexo explícito, e negar a existência de diversidade sexual." (Referência no final do texto)

É inegável a influência cultural e religiosa que recebemos desses conceitos reacionários.

Afinal, o que é a masturbação? Como ela é praticada, qual a preferência das mulheres?
Definição
Definições antigas, tais como "vício solitário, auto-estupro, auto-emasculação, auto-abuso, desperdício", caracterizam alguns conceitos que se tinha sobre a sexualidade.

A masturbação é a auto-manipulação genital, objetivando o orgasmo. Não é vício, não é estupro, não é abuso e não é desperdício. Não é tampouco "pecado", dentro de nossas crenças de vida do que seja certo ou errado.

Hoje, conceitua-se a masturbação como a auto-manipulação ou auto-estímulo dos órgãos sexuais. Também chamada de onanismo, principalmente na masturbação manual masculina.

O mais importante dentro da conceituação de masturbação, é que ela em si é sexo e não parte ou complemento na prática sexual compartilhada ou exercício infantil da sexualidade, como anteriormente citados.

Equívoco semelhante em relação à masturbação foi a defendida por alguns, inclusive Freud, num determinado momento, de que o orgasmo extra-vaginal era sexo infantil. Afirmavam, equivocadamente e muitas vezes cheios de preconceitos, ou quem sabe, invejosos do orgasmo que não dependesse da presença masculina e tampouco da penetração, que sexo maduro era aquele obtido com a penetração vaginal pelo pênis.

Quando faz parte do relacionamento sexual a dois, existindo como estímulo ao orgasmo por duas pessoas, como complemento desse relacionamento e parte dos jogos sexuais, não é masturbação .

Por definição, a masturbação é a prática solitária, sem a presença do(a) outro(a) ou de outros. O estímulo do clitóris no jogo sexual a dois é um estímulo da prática sexual compartilhada. Portanto, estou contradizendo o conceito popular de que seja masturbação aquela manipulação clitoridiana durante o relacionamento sexual a dois.

Faz parte da saúde genital da mulher. Ajuda a exercitar músculos, produzir secreções, manter viva a genitália feminina.

Temos que considerar que a maioria das mulheres tem períodos de suas vidas, às vezes extensos, com ausência total de parceiro(a)(s) sexual(sexuais).

O orgasmo atingido através da masturbação não é diferente daquele da relação sexual compartilhada, seja em intensidade, duração ou qualidade. Se a mulher se masturba acreditando que esteja fazendo uma contravenção, sentindo-se culpada, provavelmente não sentirá o orgasmo em toda a intensidade que lhe é possível. Se ao se masturbar pensar que está cometendo um delito, fazendo sexo proibido ou mesmo sexo de segunda classe, pouca chance terá de aproveitar esse orgasmo em toda a sua plenitude.

A mulher aprendeu desde sempre que era "pecado" tocar o próprio corpo. Como de repente pode sair dessa situação de culpa para a do prazer, sentindo livremente o orgasmo? Ora, já superamos tantas outras dificuldades para garantir algum espaço num mundo antes exclusivo do sexo oposto, porque não mais esse desafio?
Como é praticada a masturbação?
Um bom começo seria a auto-exploração dos genitais, com o auxílio de um espelho e do tato, para conhecer seus próprios genitais. Muitas mulheres nunca se olharam e não têm noção de sua própria configuração anatômica. Existem muitas variações, de modo que provavelmente não existam duas pessoas no mundo com os genitais iguais. Isso pode ser foco de conflito, com interpretações equivocadas de desvio da normalidade na anatomia.

A masturbação pode ser realizada com os próprios dedos, com a mão ou utilizando um objeto erótico outro, desses encontrados à venda nos sex-shops. Existe uma infinidade de aparelhinhos, vibradores, pênis artificial com ou sem vibrador, enfim, cada mulher se adapta a uma diferente maneira de se auto-estimular.

Vai muito da imaginação e da fantasia, quando da escolha de artefatos, que têm configuração múltipla. Desde sempre me pergunto porque esses objetos são vendidos exclusivamente em sex-shops... ainda constrange a muitas mulheres entrar nesse tipo de comércio, mas espero que com o tempo, elas descubram que isso lhes é de direito, e que descobrir coisas novas sempre pode ser gratificante.

Algumas mulheres imaginam-se transando com um objeto de desejo, que pode ser uma pessoa ou situação, como por exemplo, como se estivesse num sexo grupal.

A intensidade da pressão desejada, agradável e que funcione como um bom estímulo, depende de cada mulher e da fase sexual em que se encontra. O mesmo vale para o ritmo empreendido nos movimentos, geralmente mais rápido no final da fase sexual, perto do orgasmo.

Algumas preferem a masturbação no banho, com o chuveirinho ou com os dedos, outras preferem na cama ou no sofá, deitadas de barriga para baixo ou de costas, com pernas abertas ou fechadas, esticadas ou dobradas, cada uma se posicionando de acordo com a sua preferência pessoal.

Algumas mulheres gostam da penetração vaginal com dedo ou um objeto outro, como parte do auto-estímulo. Outras variam a maneira de se auto-estimular e o lugar, de acordo com as circunstâncias ou com a individualidade do momento.

Muitas vezes é difícil encontrar na própria casa um local em que tenha privacidade e tranqüilidade para se masturbar. Isso constrange e impede muitas dessa prática sexual, enquanto que outras se excitam com a possibilidade se serem pegas em "flagrante".
Como é o orgasmo da masturbação?
O orgasmo com o auto-estímulo é de intensidade variável, assim como qualquer tipo de orgasmo que possamos sentir. Depende de quanto de excitabilidade o momento nos proporciona. Igualmente, às vezes pode ser múltiplo.

O orgasmo múltiplo não é privilégio de todas as mulheres e tampouco costuma ocorrer em todos os eventos sexuais de uma mesma mulher, mas quem os têm em "cascata", em geral diz que é muito bom. Esse privilégio é quase que exclusivo do universo feminino.

A lubrificação, como em qualquer prática sexual, também não é sempre a mesma. Não tenho a expectativa de que os fluidos genitais ocorram tão rapidamente ou em igual intensidade nas mulheres "maduras", quando comparadas às jovenzinhas de 15-20 anos. Após a menopausa, muito freqüentemente é necessário o uso regular de hormônio vaginal (estrogênio "fraco") para manter a elasticidade e umidade dos genitais. Pode-se também recorrer aos lubrificantes aquosos, para facilitar a penetração.
Manipulação clitoridiana no relacionamento compartilhado
Acredito que a questão da masturbação tenha sido razoavelmente abordada. Entretanto, apesar de ser uma forma de prática sexual assim como o sexo compartilhado, não tenho qualquer dúvida de que esse último, quando acompanhado de alguém com quem tenhamos um envolvimento agradável, afinidade e tesão, é a modalidade de preferência da maioria.

O prazer do exercício sexual com quem temos um envolvimento amoroso, geralmente é insuperável. Algumas pessoas encontram a sua cara-metade da cama muitas vezes durante a vida, outras, nunca, e tem aquelas que são felizes a vida toda com uma companhia única.

Alguns "detalhes" entretanto precisam ser discutidos para melhorar a qualidade da vida sexual da mulher, permitir o máximo do prazer em cada evento, principalmente quando da situação mais comum, que é a do relacionamento heterossexual.

Parece incomodar aos homens que a mulher muitas vezes tenha orgasmo na manipulação clitoridiana com maior facilidade do que na penetração vaginal. Alguns tampouco toleram a possibilidade de estimular o clitóris da companheira ou que ela se manipule durante o relacionamento sexual.

Muitas vezes a estimulação clitoridiana é exercida durante o relacionamento sexual compartilhado, quando a penetração não é suficiente para levar a mulher ao orgasmo. Para Hite, uma das maiores estudiosas da sexualidade humana, orgasmo "vaginal" é ocorrência excepcional, principalmente o concomitante com o parceiro.

Em geral os homens têm dificuldade em entender que o comum seja que as mulheres não consigam o orgasmo apenas com a penetração pênis-vagina. Sentem-se muito viris quando conseguem uma ereção e, uma vez atingida a ereção adequada para a penetração, acreditam que ela não possa ser desperdiçada ou atrapalhada, exigindo a penetração. E isso é aceito tacitamente pela mulher, que não interrompe uma ereção.

Só que a mulher pode não se encontrar na mesma fase do desejo sexual e tampouco estar pronta para receber o pênis do parceiro, sem lubrificação adequada dos genitais. Ou então, ela pode sempre precisar do estímulo clitoridiano para excitar-se ou atingir o orgasmo.

A falta do orgasmo da mulher muitas vezes é sentida como rejeição pelo homem ou insegurança quanto ao seu desempenho sexual. Outras vezes, não se preocupa ou não atenta para o prazer da parceira.

Insisto nessa questão da abordagem da sexualidade compartilhada da mulher, porque existe um conceito de que mulheres que não têm orgasmo na penetração pênis-vagina sejam frígidas, mesmo quando competentes para atingir o orgasmo na auto-estimulação clitoridiana ou pelas carícias do(a) parceiro(a) em seu clítoris. Chamá-las de frígidas é fugir da discussão sobre relacionamento sexual harmônico ou satisfatório para as duas partes envolvidas no relacionamento sexual.

Não existe uma maneira "correta" de se ter orgasmo. Tampouco existe modelo único de necessidade ou comportamento sexual. Depende da vontade de cada mulher, em cada momento de sua vida. Pode necessitar de estímulo do clítoris, da penetração vaginal, ou de ambos, como padrão ótimo para atingir o orgasmo.
Leitura recomendada:

- Dodson, B., "Sex for one - the joy of selfloving", Three Rivers Press, New York , copyright 1996.
- Hite, S., "O orgulho de ser mulher", Ed.Sextante, 2004.


Dra. Luciana Nobile 

DST: HPV - Considerações sobre o diagnóstico e a transmissão do vírus


O HPV, epidêmico em todo o mundo, pode provocar verrugas nos genitais externos e estar relacionado à etiologia do câncer no colo uterino,vagina, vulva e ânus, assim como no pênis. Discutimos o seu diagnóstico e a sua transmissão. O HPV tem cura? Deixamos para o próximo número as novas perspectivas sobre a prevenção e o tratamento.
O vírus HPV ( human papilloma vírus - vírus papiloma humano) é responsável por infecção genital freqüente em todo o mundo e implica em problemas sérios de ordem física e emocional, seja pela sua presença ou pela complexidade e tempo necessários para o tratamento e/ou resolução. Alguns estudos citam o HPV como a DST mais freqüente no mundo todo.
Pertence ao grupo das doenças classificadas de sexualmente transmissíveis (DST - doença sexualmente transmissível), pois é de propagação principalmente sexual: está relacionada a hábitos e costumes sexuais. Quando me perguntam se é possível a sua transmissão de qualquer outra maneira, não consigo ter uma resposta clara e definitiva. Há a possibilidade de transmissão não sexual - vertical (contaminação fetal na gravidez/parto), auto e hetero-inoculaçaõ e eventualmente através de materiais de uso comum (toalhas, roupas).
São conhecidos mais de 100 tipos diferentes do HPV, sendo que cerca de 50 deles podem contaminar a região anogenital (região anal e genital). Eles são classificados numericamente.
Alguns se associam ao condiloma genital (verrugas genitais) ou a alterações celulares leves (no colo uterino), que não progridem para o câncer: são os denominados de HPV de baixo-risco, também designado de grupo A em exame específico.
Por outro lado, outros tipos de HPV, tais como os de número 16, 18, 31, 33 e 35, freqüentemente se associam a lesões mais avançadas, precursoras do câncer, e são encontrados na maioria dos casos de carcinoma (câncer) invasor do colo uterino: pertencem ao grupo de alto-risco, ou grupo B.
Enquanto que as verrugas são palpáveis pela própria paciente, motivando rápida procura de orientação médica, lesões de colo e vagina não são percebidas pela paciente e evoluem silenciosamente, de modo traiçoeiro.
O tumor de colo uterino é causa freqüente de morte entre mulheres de baixo nível sócio econômico, que não recebem assistência médica adequada, a despeito de se tratar de um tipo singular de câncer, verdadeiramente passível de prevenção.
Em países desenvolvidos há programas de prevenção de câncer ginecológico, com a realização periódica de exames; em casos de resultados alterados, as pacientes são convocadas para orientação e tratamento.
Em clínica privada é praticamente inexistente o carcinoma cervical, considerando as pacientes com HPV que fazem acompanhamento ginecológico regular.
Calcula-se que haja cerca de vinte milhões de pessoas infectadas pelo vírus HPV nos Estados Unidos.
E como se "pega" o HPV? Quais são as suas formas de transmissão? Isso é o que veremos a seguir.
A transmissão do HPV
O HPV é contraído principalmente através da relação sexual. A contaminação não-sexual através da saliva é rara, mas pode ocorrer, assim como a infecção fetal durante a gravidez/parto, também de ocorrência excepcional.
O que chama a atenção é o fato de que mulheres virgens com exercício sexual sem penetração, também podem se infectar pelo HPV, indicando que o contato genital externo é suficiente para a aquisição do vírus.
O principal fator de risco para a infecção pelo HPV é o número de parceiros durante a vida. Alguns pesquisadores mais pessimistas avaliam em cerca de 80 a 85% o risco de contaminação pelo HPV em mulheres heterossexuais sexualmente ativas.
A verruga genital não é uma DST de transmissão convencional, devido ao fato de que a infecção latente e a sub-clínica são as formas mais comuns do HPV genital. Isso dificulta o rastreamento do HPV, ou seja, identificar de onde veio a contaminação.
Exemplificando, temos a situação da mulher infectada que pode estar desenvolvendo uma doença de um vírus que estava latente (escondido) há muitos anos. Ilustra essa história, a paciente que há alguns anos não tem sexo compartilhado, assim como a situação em que a mulher apresenta a doença evidente, e os exames do primeiro e único parceiro sexual não conseguem detectar o vírus. Nessa segunda circunstância, o vírus pode estar nele latente, o que acontece num elevado percentual de casos, estando infectante, porém sem doença ativa.
A prevalência do HPV é maior em jovens sexualmente ativos. Entre mulheres, o pico de incidência está entre 20 e 24 anos, com estimativas de que até 50% dessa população esteja contaminada. A prevalência reduz agudamente em mulheres após os 30 anos. Essa redução é provavelmente devido ao menor número de parceiros sexuais e diminuição da exposição ao vírus, paralelamente ao fato de que os ectrópios ("feridinhas") cervicais também reduzem com a idade, reduzindo a vulnerabilidade da mulher a infecções.
HPV tem cura?
Inúmeras publicações científicas afirmam que não existe qualquer procedimento médico que erradique o HPV, mas que na maioria dos casos a infecção viral desaparece espontaneamente num período de 1 a 2 anos, o que confere imunidade protetora e duradoura para o subtipo viral específico.
Entretanto, como não tivemos nenhum único caso de câncer do colo uterino nos últimos 15 anos, considerando as pacientes com diagnóstico de HPV que foram tratadas, isso nos sugere que o tratamento adequado seja eficiente para erradicar a infecção.
Reforça ainda a nossa teoria o fato da raridade de ocorrência do câncer cervical em mulheres com assistência médica oportuna e, por outro lado, a elevada incidência de câncer cervical em populações carentes.
Porque então estaria também toda a literatura médica pertinente indicando tratamentos e apresentando os seus resultados, se ninguém acreditasse na cura terapêutica?
É possível sim que muitas das mulheres que estamos tratando tivessem evolução espontânea para a cura se apenas fossem acompanhadas com observação clínica (Papanicolau, colposcopia e biópsias, se necessárias). Mas como identificar com precisão os casos que evoluiriam para o câncer cervical? E como garantir que essas mulheres com o diagnóstico do HPV façam o seguimento clínico rigoroso e evitem a transmissão viral para outras pessoas? Será que o tratamento está colaborando para reduzir a sua transmissibilidade?
De toda maneira, é importante apresentar alguns dados de literatura: a despeito da correlação entre o HPV de alto-risco e o câncer do colo uterino, 80% das infecções são transitórias, assintomáticas e somem sem qualquer tratamento. Quando isso ocorre, as alterações celulares (demonstrado pelo Papanicolau) relacionadas ao vírus, regridem espontaneamente e não mais se identifica o HPV no colo. A regressão espontânea de lesões cervicais relacionadas à presença do HPV é menor conforme aumenta a gravidade das lesões.
As verrugas
As verrugas genitais, também denominadas de condiloma acuminado , são o resultado da infecção pelo HPV. Esses mesmos vírus, porém outros tipos numéricos, podem causar verrugas em outras partes do corpo, tais como mãos e plantas dos pés.
Na genitália associam-se sobretudo aos tipos de baixo-risco, mas é usual a associação de vários tipos virais, inclusive com os de alto-risco.
A infecção genital pelos subtipos não-genitais do HPV é extremamente rara e ocorre principalmente em crianças. Essa é portanto, um modo não-sexual de transmissão.
As verrugas genitais são manifestações clínicas de replicação viral ativa e a sua presença é diagnóstica da presença do HPV, dispensando a feitura de qualquer exame adicional para a confirmação diagnóstica.
Quando no homem, o condiloma acuminado é popularmente denominado de "crista de galo".
Avaliação inicial das verrugas
O diagnóstico da verruga genital baseia-se no aspecto das lesões. Geralmente têm contorno acuminado (ver sinônimo), têm textura elástica, flexível, são várias e não são pigmentadas. Freqüentemente assintomáticas, mas podem se apresentar com coceira, sangramento e desconforto.
Podem se localizar em qualquer região do monte de Vênus (púbis), vulva, períneo e região perianal da mulher. No homem, no pênis, bolsa escrotal, períneo e também perianal. A presença da infecção viral no escroto é essencial para a compreensão da prevenção, que não abordaremos no momento.
A biópsia em geral só é realizada quando as verrugas não respondem ou pioram durante o tratamento, quando são pigmentadas, endurecidas ou o diagnóstico não for de certeza.
A vulvoscopia (exame dos lábios genitais com lentes de aumento - o colposcópio - e uso de alguns líquidos específicos) pode auxiliar na visualização das lesões ditas sub-clínicas (não vistas a olho nu).
O HPV cérvico-vaginal e o câncer
Câncer, carcinoma, tumor maligno e neoplasia maligna são sinônimos.
A infecção de vagina e colo uterino, pela própria localização, esconde-se de quem a tem. Evolui insidiosamente, sem qualquer manifestação clínica relevante e, quando descoberta, já pode estar em estágio avançado do carcinoma. Para ser identificada, somente com o exame ginecológico periódico.
Na consulta ginecológica de rotina, usualmente colhe-se o Papanicolau (colpocitologia oncótica), que só identifica o HPV quando já existe alteração celular patente, desencadeada pela infecção viral.
O Papanicolau, chamado pelos americanos de Pap smear , e por aqui simplesmente como Papa , é o estudo de células obtidas pela descamação do colo, coletadas com uma espátula de madeira aplicada sobre o colo com movimentos circulares e uma escovinha que é inserida na endocérvice (canal cervical, comunicação entre o corpo do útero e a vagina, por onde escoa o sangue menstrual e trajeto do espermatozóide para dentro da cavidade uterina). É também denominado de "colpocitologia oncótica". Herdou o nome de Papanicolau de seu precursor.
Um exame mais acurado e mais precoce para o diagnóstico do HPV é a colposcopia (exame do colo e vagina com um sistema de lentes de aumento - o colposcópio faz as vezes de um microscópio do colo), que as inúmeras publicações científicas não recomendam que seja realizada de rotina, pelo elevado custo. Entretanto, no Brasil, a situação é inversa, em que a colposcopia é de custo menor que os exames específicos definitivos para a presença do HPV, conforme veremos abaixo.
Ela pode ser simplificada com o uso de ácido acético a 2 ou 3% e a observação a "olho nu" das paredes vaginais e da cérvice uterina, que ficam com aspecto esbranquiçado quando presente o HPV. Essa maneira mais simples é relativamente eficiente, apesar de não substituir a colposcopia.
Porém, o diagnóstico definitivo é realizado pelo exame de captura híbrida (CH), exame específico para a confirmação da presença do HPV, indicado em alguns casos. A CH permite identificar o tipo e a quantidade de vírus presente, características ainda de valor discutível.
Entretanto, em nosso meio ainda é exame de custo muito elevado. Ao contrário, nos EUA alguns serviços recomendam a realização da CH sempre que diante de alteração do Papanicolau, dispensando a colposcopia, por ser esta mais cara.
Outro exame empregado é o da hibridização in situ, para confirmar a presença do vírus, como método alternativo para a CH.
O período de latência entre a exposição inicial ao HPV e o desenvolvimento do carcinoma cervical pode ir de meses a anos. Embora seja possível a progressão rápida, a média desse período é de quase 15 anos. Ou seja, usualmente a mulher tem bastante tempo para se tratar, antes que a infecção pelo HPV evolua para câncer.
Co-fatores no desenvolvimento do câncer do colo uterino
A incidência relativamente pequena de mulheres com HPV que evoluem com lesões precursoras de câncer do colo uterino sugere que outros fatores possam estar implicados no processo carcinogênico, ou seja, que induzem ao desenvolvimento do tumor maligno.
Algumas mulheres carregam o HPV por anos, com seqüelas mínimas, enquanto que outras rapidamente evoluem para neoplasia cervical. Os pesquisadores acreditam que a transformação maligna seja também influenciada por fatores independentes, sexuais ou não.
O fumo, ativo ou passivo, é um dos fatores associados à malignização do colo uterino. Afora ação local de metabólitos da nicotina nos tecidos cervicais, o fumo reduz a resposta imunológica do indivíduo. Fumantes têm duas vezes mais o câncer do colo uterino. Quanto maior o número de cigarros/dia, maior o risco.
Contracepção hormonal oral, após cinco anos de uso, está relacionada a uma maior incidência de câncer in situ (inicial) e do carcinoma invasor do colo. Uma das explicações, a ser confirmada, é a de que mulheres com contracepção hormonal protegem-se menos com o uso de preservativos.
Existe também uma relação da paridade: quanto maior o número de gestações de termo, maior o risco de neoplasia cervical. Talvez pela maior incidência de ectopia cervical ("feridinhas" no colo uterino) nessas mulheres, o que aumenta o risco de malignidades.
As condições imunológicas da mulher também interferem na resolução do HPV. Mulheres infectadas pelo vírus HIV (o vírus da AIDS), principalmente aquelas com contagem de células CD4 menores que 200 células/mm ³ , têm uma maior incidência de infecção por HPV e de alterações celulares pré-malignas do colo uterino. Daí ser rotina a solicitação do teste anti-HIV nas portadoras de HPV. Porém, a infecção pelo HPV é muito mais freqüente que a pelo vírus HIV.

Dra. Luciana Nobile
 e
Profa. dra. Maricy Tacla
Médica assistente doutora da Clínica Ginecológica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP).
Doutora em Ginecologia na FMUSP.

Calcule a necessidade diária de calorias


665 + ( 9,6 x peso em kg.) + (1,7 X altura em cm) – (4,7 X idade em anos)= necessidade diária de calorias.

OBS: Pessoas sedentárias: acrescente 30% no resultado.

Pratica atividade física moderada: acrescente 50%

Pratica atividade física intensa: acrescente 100%

OBS: O cálculo é somente para se ter uma noção da quantidade de calorias a serem ingeridas diariamente para que o organismo funcione bem e com saúde

VISITE - vale a pena ...

Procure a Paz em si

Procure a Paz em si

Mulher é única

Mulher é única

Madura e sensual

Madura e sensual
sempre

A romântica

A romântica

Seguir

Pesquisar

Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | ewa network review